quarta-feira, 25 de março de 2009

A vida não pára e ....Estou Vivo(a)

Nunca dei a devida importância até agora a hip-hop, rap e afins ... confesso o meu quase total desconhecimento nos intérpretes. Mas nunca é tarde !!!

Um amigo meu chamou a minha atenção para o último album de Boss AC "Preto no Branco" e a letra desta música despertou a minha atenção ... é intensa e reflecte muito da realidade que se vive mos dias de hoje ... é um grito para todos despertarmos !!

Partilho com todos ... ;)

Beijocas,

“Estou vivo”

Mais um dia, mais um mês, mais um ano, pouco a pouco, de repente o tempo voa, estamos cá e amanhã estivemos
Perdemos tempo, lamentamos e queixamos, acordamos maldispostos, sem vontade e nada fizemos

Life’s a bitch, and then you die, aproveita não te queixes, dá graças ao que tens, há quem nada tenha
Damos tanta importância, a coisas que nada importam, de repente alguém nos deixa e vemos temos senha
Estamos todos na mesma fila, não sabemos o nosso número, nada é certo, o amanhã pode não chegar
Tão fácil falar, o que é difícil é fazer e quando as coisas não estão bem podem sempre piorar

Vive a vida, tira proveito até ao fim da corrida, põe-te de pé e grita bem alto:
EU ESTOU VIVO E VOU VIVER A VIDA!
Vive a vida, tira proveito até ao fim da corrida, põe-te de pé e grita bem alto:
EU ESTOU VIVO! E VIVE!

É ver o copo, meio cheio, meio todo, falta pouco, é ver o lado de lá da mesma moeda
Planos traçamos mas depois adiamos, desistimos e a vida é sempre a mesma merda
Ninguém te ajuda quando tu mesmo não te ajudas e não fazes nada para mudar a tua vida
É bom sonhar mas é preciso acordar para concretizar e encontrar uma saída
Falo contigo e comigo e para todos, os que vivem o presente com medo do futuro
Nós não pedimos para nascer, já cá estamos, é viver porque amanhã é um tiro no escuro
È relativo, o teu drama mais terrível ao pé do drama do outro parece um filme para crianças
A vida dá-nos prendas e às vezes só damos valor quando essas prendas já não passam de lembranças
Tem calma, não te estiques, abranda o carro, dá espaço, pé pesado dá multas mas também dá condolências

Faz brindes, bebe shots, parabéns, felicidades, tás feliz mantém-te assim sem imprudências
Vai de táxi, vê se dormes, olha a ressaca, acorda bem, toma banho desperta e faz-te à luta
Todos temos que partir, um dia vamos parar mas a parar ao menos que não seja à bruta
Há quem pense que é de ferro, só acontece aos outros, não te enganes pensa bem o outro um dia és tu!
Dei por mim capotado, vi a vida por um fio, flashback na A1 eu e o Xuxu
A gritar tipo gajas, grande susto, não foi desta estamos bem a esperar pela assistência
Moral da história: vive a vida aproveita porque a vida dá voltas e não avisa com antecedência

4 comentários:

Mukanda disse...

Minha Guapa

"Só existem dois dias no ano que nada pode ser feito.
Um chama-se ontem e o outro chama-se amanhã,
portanto hoje é o dia certo para amar,
acreditar, fazer e principalmente viver."

Dalai Lama

Por isso faz-me o favor de seres muito feliz, pois mereces!
Beijo grande Minha guapa mai linda!

Mukanda

Carol disse...

Minha guapita,

Sabes uma coisa ... mesmo quando temos dias menos bons ... a vida não pára, ela que é tão rara ... que só temos mesmo como obrigação saber vivê-la, saber identificar o bom e o menos bom, aproveitar bem todas as emoções e sentimentos que esta nos oferece :)

Besos y mas besos, guapita mai linda !!!

Pedro Branco disse...

Pouso-me perante a ponta de um lápis e de uma folha em branco. Salto logo lá para dentro e escrevo e escrevo e escrevo. Mal sei do suor que de tanto grito e paixão me corre pela ponta dos dedos e salta dos olhos até tudo querer pintar e apagar e pintar de novo e apagar e pintar. Queria o mundo num toque apenas e a vida num minuto. Para depois repetir e repetir e repetir... como as músicas da minha aparelhagem. Obsessivamente. Vivo como se a vida fosse acabar já. Às vezes sufoco(-me). Outras esqueço(-me) e deixo-me ir. No som de uma voz. No cheiro de um corpo. No abraço de um olhar. No sonho de uma mão. Deixo-me ir em mim e em ti e em todos que a meu lado querem a vida. Saltemos, então, nas praias que inventamos para nos cobrir. Assim sou feliz e assim sou infeliz. Completamente nos outros e unicamente sozinho. Beijoca.

Carol disse...

Pedro,

Já li e reli o teu comentário ao meu post e revi-me nele em tantas passagens ... mas ainda não tinha dado resposta ... ;)

Como das vezes que enfrento a folha de papel em branco e escrevo (guardo de miúda a mania de transportar sempre comigo imensos lápis e canetas, de várias cores, mais finas e suaves ou mais grossas a soltarem mais tinta) ... e para cada texto escolho a caneta que uso (hábitos antigos ...), dependendo do tom que vou usar ... mais suave ou agressivo ... textos esses que vou guardando ... são momentos de catarse, de desabafo ... só eu e o papel ;)

Guardam momentos vividos, emoções que quero que perdurem ... quase que obsessivamente.

Muitas vezes - se calhar demasiadas - esqueço-me de mim e deixo-me ir ... mas depois páro para me relembrar da importância que tenho ...;)

Guardo de memória muitas emoções, muitos cheiros, muitas risadas e experiências de 36 anos de vida ... (a minha mãe diz que tenho memória de elefante... pelos pormenores que insistem em ficar comigo) ... são esses fragmentos que aprecio ... que observo ... e que absorvo ...

Afinal tão simplesmente chama-se a isto ... VIVER :)

Uma beijoca grande :)